Argo Precision 1.8 AT6 é o mais ajustado

O segmento de hatch médios compactos está bem movimentado no Brasil. Após o sucesso de Polo e Argo, chegou a vez do inédito Toyota Yaris ser lançado no mercado nacional. Mas, o bom volume de vendas do Argo mostra que a briga é das mais árduas. AUTOS E MOTOS traz uma avaliação do Argo Precision com motor 1.8 flex e câmbio automático de seis velocidades, uma versão que se encaixa bem nas atuais exigências do consumidor brasileiro. Ninguém quer mais ficar passando marchas em engarrafamentos. Assim, o Argo tem qualidades para quem deseja um hatch equipado, motor maior e de visual moderno.

Com preço beirando os R$ 70 mil, o Argo Precision 1.6 AT6 vem equipado com o novo multimídia com tela TFT de 7 polegadas similar a da picape Toro. Tem grafismos e um cluster de fácil leitura. Traz assim o sistema Uconnect, com tela sensível ao toque, e possibilidade para emparelhamento do smartphone nas plataformas Android Auto, com o Google Maps, e Apple Car Play com câmera de ré. O sistema de som é de boa qualidade, e o carro tem ainda duas entradas USB – que pode usar o navegador do smartphone.

Mas, o mundo dos hatches tem mudado. Todo mundo agora quer conectividade e deseja também itens de conforto e de segurança. A Fiat entrega esta versão do Argo com sistema de monitoramento da pressão dos pneus, central multimídia de 7 polegadas, de alta definição,  além de volante com comandos do rádio e telefone e 2ª porta USB para o passageiro traseiro. Tem ainda sistemas de controle de tração e de estabilidade, Hill-Holder (evita que o carro se mova em breves paradas com inclinação) e cinco botões como o da função Sport no painel. O hatch é um carro bem completo e vem com controle de velocidade de cruzeiro, apoia braço para o motorista e vidro elétrico traseiro e retrovisores externos elétricos com função tilt down e repetidores laterais.O diferencial fica por conta do alarme antifurto, faróis de neblina, faróis com luz de posição a LED, rodas de liga leve com aro 15 e banco traseiro bi-partido 60/40. Há também aletas atrás do volante para as trocas de marchas.

O Argo é ofertado com a opção dos motores 1.0 e 1.3, ambos da família FireFly, e o bom 1.8 e-TorQ. O Argo testado por AUTOS E MOTOS é o andar de baixo da versão topo da gama, a HGT. O carro tem sistema start/stop – em tempos de desabastecimento de combustível, é útil para a redução do consumo de gasolina ou de etanol -, e a direção elétrica progressiva, mais leve e eficiente. O conjunto funciona em boa sintonia com o motor 1.8 flex, de 139 cavalos a 5.750 rpm e torque máximo de 19,3 kgfm a 3.750 rpm (ambos com etanol). O hatch Argo Precision anda bem e funciona melhor ainda, com o uso do coletor de admissão variável, chamado de VIS (sigla inglesa para Variable Intake System – sistema de admissão variável), para obter força e boas respostas em baixos regimes de rotação.

O hatch da Fiat tem porta-malas de 300 litros

A Fiat conseguiu um resultado interessante no hatch Argo. O compacto pesa 1.624 kg bem distribuídos nos quase quatro metros de comprimento (são exatos 3,998 metros) e distância de entre-eixos de 2,521 metros. Tem largura de 1,724 metro e altura de 1,507 metro. Sua suspensão é do tipo MacPherson na dianteira e de eixo de torção na traseira, deixando o carro bem no chão. O Argo tem tração dianteira e vem com pneus 195/55 R16. Tem tanque de combustível de 48 litros e seu porta-malas é de 300 litros de capacidade de carga.

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais