Compass S anda nas trilhas e na cidade também; Jeep cobra caro

Por Roberto Nunes

O Compass chegou com tudo e já foi o SUV mais vendido no Brasil. Produzido na fábrica da FCA em Pernambuco, o SUV médio da Jeep ganhou ano passado a configuração S baseada na versão mais equipada, a Trailhawk. Assim, a marca americana “ataca” duas frentes de uma vez só: pega os amantes dos veículos 4×4 junto com os mais urbanos.

A Jeep oferece o Compass S com o motor eficiente 2.0 turbodiesel de 170 cavalos e 35,7 kgfm de torque acoplado ao conjunto mecânico da tração 4×4 e o câmbio automático da alemã ZF de 9 velocidades. O maior trunfo do Compass S é a oferta do pacote High Tech, o que inclui sistemas de leitura de faixas para a direção semiautônoma. Ai sim valoriza o SUV para quem gosta de pegar a estrada ou mesmo nas situações de descuido nas grandes cidades.

A Jeep cobra caro pelo Compass S com preço que chega aos R$ 188 mil. O modelo entra na briga com os rivais Volkswagen Tiguan Allspace R-Line (R$ 187.990) e o Peugeot 3008 Griffe Pack (R$ 179.990). Se é para brigar assim vamos lá é bom ter recheio de equipamentos. De prima, sai na frente já que é o único movido a diesel neste segmento de SUV´s médios.

O Compass S vem equipado com controle adaptativo de velocidade, aviso de colisão frontal com frenagem automática, itens que normalmente opcionais nas outras versões da gama.

AUTOS E MOTOS rodou com o Compass S na cor marrom Deep, exclusiva para esta versão. A segurança está presente com o sistema de assistente de permanência em faixa, sistema de estacionamento semiautomático (Park Assist), além de monitoramento de ponto cego e faróis alto automáticos.

Quem gosta de SUV sempre coloca um test drive do Compass em sua lista. O modelo tem visual moderno e, nesta configuração S, a Jeep capricha com rodas de 19” e logotipos e contornos dos faróis de neblina e das fendas da grade dianteira em grafite. O revestimento interno do teto, e as molduras das saídas de ar e das alavancas são pretos. Há indicação da versão S e do pacote mecânico Trailhawk na traseira.

Entre os itens já conhecidos, estão lá a chave presencial com partida por botão (Keyless), acendimento automático dos faróis e sensor de chuva. Há ainda retrovisor interno eletrocrômico. Traz também bancos dianteiros elétricos, sistema de som premium Beats, porta-malas com abertura e fechamento elétricos, comutação automática do farol alto e tomada auxiliar de 127 V na parte traseira do console central.

Sobre a conectividade, ninguém pode reclamar mais dos multimídias. No Brasil, praticamente todas as fabricantes possuem um multimídia moderno com possibilidades de emparelhar o smartphone e usar os aplicativos preferidos na tela do carro. Com a Jeep a situação é legal e todos ficam bem conectados no multimídia com tela tátil de 8,4″ , usando o Android Auto ou o Apple CarPlay no Compass. O carro vem ainda com ar-condicionado de duas zonas, abertura/fechamento elétrica da tampa do porta-malas e som da Beats com oito alto-falantes, subwoofer e 506 W de potência. É som de qualidade para quem gosta de música.

O porta-malas é de 410 litros, podendo ter mais espaço com o rebatimento dos bancos. Você pode perder de dar a carona no banco traseiro mas vai poder viajar com todas as malas e objetos maiores no bagageiro de 1.191 litros.

Recentemente, a Jeep fez uma forte ação com o Compass para o público PcD. o Jeep Compass Longitude 2.0 Diesel, por exemplo, que custa R$ 170.990, pode ter uma redução que vai de 22,3% a 28,3%, podendo chegar até ao preço de R$ 98.080. Se um comprador PCD optar pelo Jeep Compass Longitude 2.0 Flex, que tem preço público sugerido de R$ 134.990, os descontos podem variar entre 19,5% e 25,5%, podendo chegar ao valor final de R$ 90.602.

 

 

 

 

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais