Cesvi indica itens que aumentam riscos de acidentes

Motoristas de primeira viagem e até os mais experientes sabem que os carros são projetados e desenvolvidos levando em conta uma série de itens de segurança e proteção ao condutor e passageiros em caso de colisão.

Agregar itens ao veículo, dependendo da sua finalidade, pode colocar em risco a segurança de todos os ocupantes, além de aumentar as chances de ferimentos em acidentes. Diante disso, o CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária) elencou cinco alterações no automóvel que podem trazer riscos aos passageiros.

De acordo com o superintendente técnico do CESVI, Emerson Feliciano, qualquer adaptação no veículo precisa ser avaliada. “Alterações nos equipamentos presentes no carro devem ser analisadas com cautela, ou por um profissional especialista. Ele é capaz de avaliar a possibilidade da perda de dirigibilidade, diminuição da segurança dos ocupantes e, inclusive, a perda de garantia de fábrica do veículo, já que ele está sendo customizado”, alerta.

Veja abaixo os acessórios e customizações que podem aumentar as chances de ferimentos acidentes:

1. Existe algum risco ao trocar a forração dos bancos dianteiros e traseiros?

A princípio, não existe um impeditivo claro para realização dessa troca, desde que se leve em consideração os airbags laterais dos bancos, que geralmente estão presentes nos encostos dos bancos dianteiros. Vale lembrar que a área de abertura não pode ser encoberta, por isso, certifique-se de que o serviço esteja de acordo com os padrões estabelecidos e adotados pela montadora. Também não se deve utilizar capas em veículos que tem airbags laterais.

2. A capa massageadora aumenta as chances de ferimentos em caso de acidente?

Acessório muito utilizado por taxistas, motoristas de aplicativos e caminhoneiros que passam horas ao volante. Inicialmente, a capa proporciona uma sensação de bem-estar ao ativar a circulação sanguínea, promovendo maior conforto. Porém, esse item também pode alterar a sensibilidade do condutor, diminuindo sua percepção quanto ao desempenho do carro.

Além disso, em curvas e frenagens bruscas, a capa massageadora pode afetar a retenção do motorista junto ao banco, podendo reduzir a eficiência do cinto de segurança. Também é importante avaliar se essa capa não interfere na abertura do airbag lateral, já que ela é presa também no encosto do banco.

3. O porta-celular ou carregador podem ficar no painel do carro?

O uso de smartphones em suportes deve ser avaliado com cautela. Ele não deve obstruir a visão dos motoristas em curvas e não deve ficar em locais onde fica indicada a sigla “airbag”, já que no caso de acionamento das bolsas infláveis, esses objetos serão arremessados com toda a força contra o motorista e passageiros.

4. O rebaixamento do carro é seguro?

Rebaixar o carro pode prejudicar a estabilidade do carro, o desempenho da suspensão, da carroceria e até dos pneus. Além disso, torna a direção mais desconfortável devido à falta do amortecimento. O ideal é que as alterações no veículo sejam realizadas com base na resolução 479/2014 do CONTRAN.

5. Farol de xênon é a melhor opção?

Nessa questão, o farol xênon provoca o ofuscamento da visão do motorista quando esse item não é original do veículo. A intensidade da luz do xênon pode causar danos aos olhos, fazendo com que o condutor da via contrária fique de 1 a 3 segundos com a visibilidade prejudicada. Esse tempo já é suficiente para causar acidentes sérios. Além disso, substituir a lâmpada do veículo por modelos diferentes é passível de multa, conforme resolução 667/17 do CONTRAN.

Veja também...

Veja mais
Carregar mais