City enfrenta Virtus, Cronos e Yaris

Primeiro dos sedãs-médios compactos, o City nunca ganhou tanto destaque desde seu lançamento em 2009 no Brasil. Projeto derivado do Fit, o sedã da marca japonesa Honda agora enfrenta rivais fortes e recém-lançados, como o Toyota Yaris, Volkswagen Virtus e Fiat Cronos. Reestilizado no mercado nacional, o Honda City ficou com visual mais moderno e ganhou um pacote generoso de itens e uma central multimídia à altura do mundo conectado e cheio de App´s.

A Honda oferece as versões DX (R$ 60.900) e EXL (83.400), ambas com o  motor 1.5 i_VTEC FlexOne, de 116 cavalos e 15,3 kgfm de torque, e opção dos câmbios manual de cinco marchas (DX) ou CVT com a simulação de sete marchas e trocas atrás do volante. É o mesmo conjunto motriz do Fit e do WR-V. O City incorporou nova grade frontal, para-choques e capô reforçados e faróis com sistema Full LED´s e DRL. Além disso, as rodas são exclusivas e de aro 16 e sua traseira exibe belas lanternas.

Um dos destaques do City é o novo multimídia com tela de 7 polegadas que pode ser manuseado manualmente e com interfaces para o Apple Car Play e Android Auto. Há ainda navegador GPS integrado e a central funciona emparelhada ao smartphone. Assim, é possível atender ligações e baixar seus App´s e usá-los no multimídia do carro. A reprodução de música é via Bluetooth e você pode aproveitar tudo por meio do Android Auto ou Apple CarPlay. É possível ainda usar os comandos por voz. Há também visualização da câmera de ré em três ângulos (regular, wide e top down) e indicação de distância por cores.

Painel de instrumentos tem bons mostrados do Honda City 2018

O City é uma opção consciente no segmento de sedãs. Não é um sedã vistoso no visual. No entanto, a Honda cuidou de ampliar o pacote de equipamentos com ar-condicionado (manual nas versões DX, Personal e LX, e digital touchscreen na EX e EXL), sistema de som com Bluetooth e entrada USB; direção elétrica EPS; acionamento elétrico para travas das portas e vidros das quatro portas; volante com ajuste de altura e profundidade e chave do tipo canivete com sistema de travamento e destravamento das portas com imobilizador, dentre outros vários equipamentos. Agora, o City DX tem vidros elétricos com sistema um toque para todos os ocupantes e fechamento automático dos vidros por meio do alarme. Já a versão LX traz novas rodas de liga leve de 16 polegadas, faróis de neblina e as lanternas com guias de LED.

Como todos os sedãs do mercado, espaço e pacote amplo de equipamentos são itens essenciais e que definem a compra. A Honda adotou uma nova cor para o acabamento no painel presente a partir da versão LX, que ganhou um cinza mais escuro, enquanto os bancos, nas versões equipadas com tecido, trazem também uma nova padronagem. Esta configuração vem com bancos traseiros rebatíveis em 40/60 e controle de áudio no volante. Já o City EX vem equipado com airbags laterais, ar-condicionado digital touchscreen automático, volante com acabamento em couro e apoio de braço central dianteiro revestido e com porta-objetos, bem como o controle de cruzeiro e o sistema de áudio com tela de 5 polegadas, oito alto falantes, que oferecem uma qualidade sonora superior, além de câmera para manobras em marcha à ré.

AUTOS E MOTOS andou na versão mais cara do City – o sedã da Honda tem preços de R$ 60.900 (DX) a 83.400 (EXL). O City é um carro bem urbano mas anda bem também em situações de viagem. Seu motor 1.5 i-VTEC FlexOne, de até 116 cavalos e  e 15,3 kgfm de torque,. A transmissão pode ser CVT ou manual de cinco velocidades.

O City tem motor 1.5 flex de 116 cv; há câmbio manual ou CVT

Na cidade, o City é um sedã amistoso. Deixa todo mundo confortável e oferece mais mimos para quem está ao volante. O carro testado por AUTOS E MOTOS oferecia maior segurança, com airbags laterais do tipo cortina, totalizando seis. Todas as versões do Honda City trazem, de série, freios ABS com EBD, cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes e sistema ISOFIX de fixação de cadeirinha infantil. Há compartimento no console central e porta-copos nas laterais das portas.

O porta-malas de 536 litros é outro ponto forte no City. É um bom tamanho para transportar objetos e malas grandes no compartimento de carga. A Honda incluiu duas cores inéditas: o Branco Estelar Perolizado e o Azul Boreal (metálico). Há ainda o Branco Tafetá (sólido), o Prata Platinum e Cinza Barium (metálicas) e o Preto Cristal (perolizado). A linha possui três anos de garantia, sem limite de quilometragem.

Preços e versões: 

DX – MT: R$ 60.900

Personal – CVT: 68.700

LX – CVT: R$ 72.500

EX – CVT: R$ 77.900

EXL – CVT: R$ 83.400

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais