Gol ganha câmbio automático; Voyage também

Por Abilene Rodrigues, em São Paulo

Depois de 28 anos do seu lançamento, o Gol, que foi por muito tempo um dos carros mais vendidos do país, está mais jovem. Assim, como seu parceiro, o sedã Voyage, lançado em 1981. Estão com visual mais arrojado, com equipamentos tecnológicos como comandos do som e shift paddle para troca de marchas no volante e, porta-celular. Mas a grande novidade é o câmbio automático de seis velocidades no motor 1.6 de 120 cv.

Oferecer câmbio automático não foi por acaso. Os números e os concorrentes exigem. Em 2017, mais de 40% dos veículos vendidos no Brasil tinham transmissão automática, somada ao fato de que a montadora não poderia continuar perdendo espaço para os seus concorrentes: Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Toyota Etios e Ford Ka, que também passou a oferecer caixa de câmbio automática.

A jornalista Abilene Rodrigues esteve no lançamento da Volkswagen em SP

Com esse novo visual e câmbio, a montadora quer atender também as demandas dos frotistas e pessoas com deficiência (PCD), um mercado que cresce cerca de 20% por ano. Em 2017 foram vendidos 50 mil automóveis para PCD. O Gol 1.6 MSI AT chegará nas concessionárias no valor R$ 54.580,00. Já o Voyage custará R$ 59.990,00.

Transmissão

Gol e Voyage 2019 chegam disponíveis em versão única de acabamento. Sendo três opções de motor e duas de câmbio: 1.0 (84 cv) e 1.6 (104 cv) com transmissão manual de cinco marchas e 1.6 MSI (120 cv) com transmissão automática.

Para testar o câmbio a montadora convidou um grupo de jornalistas que percorreu 140 quilômetros com os carros. A saída em São Paulo e o comboio seguiu para a fábrica em Taubaté, onde são produzidos os modelos.

O câmbio promove arrancadas suaves e trocas rápidas de velocidades, reduzindo o consumo de combustível. Segundo a montadora ambos os modelos fazem 11,1 km/l quando abastecido na gasolina, em trechos urbanos. Na estrada, o Gol faz 13,6 km/l e o Voyage 14,3km/l.

Também é possível fazer trocas manuais sequenciais Tiptronic – por meio da alavanca de câmbio ou pelas aletas atrás do volante multifuncional (opcional) – e também conta com o modo de acionamento esportivo (posição “S”), que altera os momentos das trocas de marchas para rotações mais elevadas. Tanto Voyage como Gol utilizam pneus 195/55 R15.

Hatch e sedã têm transmissão automática de seis velocidades

Visual

Não foi somente o câmbio que ficou mais moderno. Na parte frontal, o capô está mais elevado e ganhou duas linhas que se conectam aos faróis maiores. O conjunto ótico é caracterizado por ser retangular e traz um recorte diferenciado do capô.

O para-choque também foi reformulado. O dianteiro conta com entradas de ar na parte inferior e linhas geométricas, com aspecto esportivo. Os faróis de neblina têm formato trapezoidal e são envolvidos por uma moldura preta.

No interior

No interior, o grande diferencial fica por conta do volante multifuncional, oferecido como opcional. Mas vem de série em todos os modelos, ar-condicionado, direção hidráulica, banco do motorista com ajuste de altura, suporte para celular integrado ao painel com entrada USB (exclusivo no segmento), travamento elétrico das portas e vidros dianteiros com acionamento elétrico.

No quesito segurança, também de série, vem com freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), dois airbags, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador, alerta de não utilização de cinto de segurança do motorista, três apoios de cabeça com ajuste de altura no banco traseiro e sistema ESS (Emergency Stop Signal ou Sinal de Frenagem de Emergência).

Até 2020

Tanto o Voyage quanto o Gol integram a lista de 20 lançamentos previstos até 2020. Para isso estão sendo investidos R$ 7 bilhões no país.

 

A jornalista viajou a convite da Volkswagen do Brasil

Veja também...

Veja mais
Carregar mais