Indústria: recorde de exportação de carros

Indústria: recorde de exportação de carros

136
0
COMPARTILHAR
Foto: Fenabrave

O setor de automóveis ainda passa por uma crise no Brasil. Para driblar as baixas vendas, as fabricantes de veículos investem forte na venda externa. Segundo dados de emplacamento da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição dos Veículos Automotores), o mês de maio foi o melhor da história da indústria automobilística brasileira em exportações, com 73,4 mil unidades.

 

Balanço apresentado pela entidade indica que o acumulado do ano também foi recorde para o período, com 307,5 mil veículos vendidos no exterior. O desempenho ajudou a produção a crescer 33,8% em relação a igual mês de 2016 e 23,4% no acumulado do ano. Os números mostram que a Argentina é o principal mercado do carro fabricado no Brasil. As exportações estão sendo puxadas principalmente pela Argentina, que já comprou 213 mil carros brasileiros, 42% mais do que no mesmo intervalo do ano passado.

O país vizinho, que registra importante crescimento em sua economia, é responsável por 68% das exportações das montadoras do País. México, Chile, Colômbia e Peru são os outros mercados do carro Made in Brasil.

Segundo dados da indústria automotiva, o Brasil fechou os primeiros cinco meses de 2017 com leve crescimento de 2,3%, ao ser comparado com o mesmo período de janeiro/maio do ano passado. Foram emplacados 686.540 unidades (contra 671.260 unidades em 2016). A General Motors segue na frente com veículos comercializados, registrando 126.549 unidades de janeiro a maio de 2017.

14894

Na segunda colocação, está o Grupo FCA (Chrysler, Dodge, FIAT e Jeep) com 96.538 unidades. Em terceiro e quarto, respectivamente, estão a Volkswagen (82.185 unidades) e a Ford (70.257) unidades. Já a Hyundai está na quinta posição com 67.737 veículos emplacados.

Top 5 dos mais vendidos:

1. Chevrolet Onix – 68.318 carros

2. Hyundai HB20 – 41.434 unidades

3. Ford Ka – 36.839 carros

4. Renault Sandero – 29.780 unidades

5. Volkswagen Gol – 29.680

Fonte: Fenabrave

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA