COMPARTILHAR

Por Roberto Nunes, em Tuiuti (SP)

A Jeep é sinônimo de 4×4 em todo mundo. Não é à toa a fama de valentia e o que os carros da marca podem fazer em qualquer tipo de terreno. Usando ao máximo suas qualidades offroad, a marca americana promoveu o Jeep 4×4 Day, um evento para celebrar o espírito 4×4. Realizado no dia 4 do mês 4, o encontro é uma justa alusão ao sistema de tração 4×4, mostrando assim toda a capacidade dos modelos Jeep para clientes e jornalistas especializados no Haras Tuiuti, no interior paulista.

O Jeep 4×4 Day reuniu ainda colecionadores e entusiastas com seus carros, muitos deles clássicos como um Willys MB, o primeiro a vir para o Brasil, e o famoso Willys CJ-3B verde e amarelo, que nos anos 1950 percorreu a América de norte a sul, fazendo mais de 73 mil quilômetros nas estradas.

20170404_151817A direção da Jeep do Brasil aproveitou para comemorar o marco de 100 mil Renegade emplacados. O SUV compacto é feito na moderna fábrica de Goiana (Pernambuco), que produz ainda o utilitário Compass, ambos com a opção dos motores flex e diesel (este último com câmbio automático de 9 velocidades e sistema de tração 4×4).

Promovido em várias partes do mundo e em cidades dos Estados Unidos, o evento 4×4 começou com a apresentação dos 76 anos de história da Jeep no mundo e o crescimento das vendas da marca que é controlada pela Fiat Chrysler Automobile e hoje virou “grife” global.

20170404_124649Na hora de botar o carro literalmente na lama, os participantes fizeram atividades em um circuito offroad para usar todos os equipamentos ofertados nos modelos 4×4. Para mostrar a capacidade offroad, andei nos modelos Compass e Renegade, ambos a diesel e tracionado em obstáculos no circuito do Haras Tuiuti. O Compass encarou obstáculos como caixa de pedras, rampas, declives e trechos com erosão. No dia, a ordem era testar os principais dispositivos e equipamentos de condução e da tração 4×4, usando em alguns trechos o controle de descida e as configurações de tração integral, reduzida e controle de subida.

 

Mas os obstáculos mais complicados também existiram. Nada como andar em um Wrangler preparada e com suspensão levantada, rodas maiores e conjunto de tração e motor ajustados para os trechos mais complicados. Houve até a chance de passar por um trecho alagado com 500 mm de água em um Wrangler todo original.

O jornalista viajou a convite da Jeep do Brasil

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorKicks está sendo feito em Resende
Próximo artigoAutos e Motos: Mobi ganha conforto
O site AUTOS&MOTOS reúne a opinião e a produção de textos do jornalista automotivo Roberto Nunes. Mande suas sugestões e críticas para o e-mail mr.robertonunes@autosemotos.com Acompanhe as redes sociais pelo instagram - @autosemotostv ou @ nunes_roberto - e pelo twitter - @autosemotostv e @nunesautobrasil. Siga a fanpage do Autos&Motos no facebook. Inscreve-ase no canal do YouTube www.youtube.com/autosemotostv

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA