Jeep Compass Longitude ganha reforço com motor turboflex e mais mimos para todos

Por Roberto Nunes

 

Produzido no complexo automotivo de Goiana (Pernambuco), o Compass é a grande referência entre os SUV’s médios no mercado brasileiro. Líder de vendas, o modelo da Jeep estreou o inédito motor 1.3 turboflex e traz na configuração Longitude a central multimídia de 10,1” com os serviços conectados da plataforma Adventure Intelligence e espelhamento sem fio para Android Auto e Apple CarPlay.

É sem dúvida um dos diferenciais do Compass Longitude testado por AUTOS E MOTOS durante 10 dias na capital baiana. Seu dispositivo multimídia reforça a relação do motorista e demais passageiros com o mundo virtual. Além disso, a Jeep capricha nesta versão intermediária e inclui bancos em couro, quadro de instrumentos de 7”, retrovisores elétricos, aletas no volante, retrovisor eletrocrômico e novas rodas de 18” pintadas. Entre os opcionais, são ofertados teto solar elétrico e panorâmico Command View e bancos em couro na cor Cinza Steel.

Mas a Jeep aposta também no novo conjunto mecânico do Compass. Saiu o motor 2.0 Tigershark, muito criticado pelo consumo, e chega o inédito e eficiente 1.3 turboflex, batizado T270. São 185 cv usando etanol (180 cv usando gasolina) a 3.750 rpm. Já seu torque máximo é de 270 Nm a 1.750 rpm. Sua transmissão é a automática de seis velocidades. Com isso, o Compass ficou mais esperto e menos beberrão.

 

O SUV médio da Jeep reina com argumentos entre os rivais e se destaca com 1.628 mm de altura, 4.404 mm de comprimento e 1.819 mm de largura. Já seu espaço interno comporta muito bem cinco passageiros (distância entre-eixos de 2.636 mm) e seu porta-malas tem capacidade para 410 litros.

A Jeep equipa o Compass com modo condução Sport e a terceira geração do sistema eletro-hidráulico MultiAir. Sem falar no Jeep Traction Control, que ajuda o motorista na hora de andar em pisos de baixa aderência.

O Compass é um carro para família e também para a turma mais jovem. O veículo vem com sistema multimídia Adventure Intelligent com tela de 10,1 polegadas (espelhamento via Android Auto e Apple CarPlay), bancos em couro, quadro de instrumentos de sete polegadas, retrovisores elétricos, aletas no volante, retrovisor eletrocrômico e rodas de 18″ pintadas.

O mercado de SUV’s médios está em expansão e já há modelos como o Toyota Corolla Cross com a oferta da opção da motorização híbrida. Mas a Jeep reforçou o Compass com um amplo pacote de equipamentos e tem ainda a oferta do Compass a diesel – com motor 2.0 turbinado, de 170 cavalos, câmbio automático de 9 velocidades e a tração 4×4.

No pacote do Compass Longitude turboflex, a Jeep oferece sistema de freios ABS com EBD, ar-condicionado digital dual-zone, banco do motorista com regulagem de altura, chave de presença com telecomando (sistema keyless), controle de estabilidade, controle de tração, direção elétrica, Hill Start Assist, painel de instrumentos em tela TFT de 7 polegadas, piloto automático, sete airbags, sensor de chuva, sensor de estacionamento traseiro, sistema Auto Hold, sistema Star&Stop, entrada USB, Bluetooth, vidros e travas elétricas, volante com acabamento em couro, entre outros itens.

Com as constantes altas do preço da gasolina no Brasil, o Compass turboflex aumenta as possibilidades do consumidor, que pode abastecer com etanol, gasolina ou a mistura da gasolina e do etanol.

A Jeep cobra a partir de R$ 163 mil para o consumidor estacionar o Compass Longitude com motor turboflex na garagem. É o valor dos SUV’s médios no mercado e tem como grande diferencial o carimbo JEEP, marca que domina a produção de utilitários no mundo.

Veja também...

Veja mais
Carregar mais