Jeep nega fábrica de carros militares na Bahia

O 4 de abril é o dia do jipeiro. E quem gosta de lama e obstáculos nos terrenos off-road tem local e hora marcadas no Farol da Barra. A jipeata dos amantes dos carros 4×4 sai 19 horas com um passeio pela orla de Salvador, chegando na praia de Piatã (região do antigo Casquinha de Siri). 

Por sinal, Autos e Motos está em São Paulo para as comemorações oficiais da Jeep do Brasil do dia do off-road com exposição e test drive de modelos icônicos e lançamentos, como o novo Wrangler e as séries especiais Renegade Willys e Compass S.

Esta semana saiu na imprensa brasileira que a marca Jeep em parceria com uma empresa estariam abrindo uma fábrica para a produção de veículos militares na Bahia. O diretor de comunicação do Grupo FCA, Fernão Silveira, esclareceu que não há planos da Jeep em produzir modelos militares no Brasil.

Segundo jornais brasileiros, seriam investidos R$ 200 milhões para a produção de veículos militares na Bahia. Os municípios de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), e Feira de Santana seriam os locais analisados para a implantação da possível fábrica, que produziria inicialmente 60 veículos por mês.  O modelo J8, disponível em seis configurações diferentes, usaria módulos importados do Jeep Renegade. A marca Jeep teria uma parceria com a VSK Tatical – empresa que anunciou a produção de veículos militares baseados no Renegade – no Brasil.

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA), detentora mundial da marca Jeep, esclarece que no momento atual: “Não tem planos de produzir veículos militares no Brasil; Não mantém relacionamento comercial ou de qualquer outra natureza com a VSK Tactical no Brasil; Toda a produção de veículos da marca Jeep no Brasil continuará a ser feita única e exclusivamente no Polo Automotivo Jeep, localizado em Goiana, Pernambuco”.

 

 

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais