Juliana Neves estreia coluna Retrovisor

Por Juliana Neves (jornalista colaboradora)

O mundo dos automóveis foi predominantemente dominado por homens: é comum ouvir que “carro e futebol são para meninos”. Mas se engana quem pensa que o universo feminino se restringe as bonecas porque mulheres corajosas como Bertha Benz – que, escondida do marido, em 1888 levou os dois filhos para realizar a primeira viagem de longa distância em um veículo motorizado e a Duquesa d’Uzés, que em 1898 recebeu na França a habilitação para dirigir, sendo a primeira mulher em todo mundo – assumiram a direção e ajudaram a abrir os caminhos para todas nós no setor.

Diante deste cenário, a coluna Retrovisor foi criada para trazer o toque feminino desse universo. Afinal, os números não param de crescer: cada vez mais mulheres querem se habilitar, comprar seu veículo próprio e ficar ligadas nas novidades do segmento. Por isso, aqui vamos tirar dúvidas, trazer dicas e contar as experiências e dificuldades que enfrentamos no dia a dia do trânsito.

O meu interesse por carros, por exemplo, só começou na fase adulta. Venho de uma família de muitas mulheres guerreiras, porém poucas sabem dirigir, pilotar ou entendem sobre os veículos: os homens ainda dominam essa área e, por isso, não tive tanto estímulo. Mas, contrariando as estatísticas, ganhei de presente de aniversário de 18 anos da minha mãe (que também tentou dirigir e desistiu) o valor para pagar os custos de tirar a habilitação e, em torno de 3 meses, já estava com a carteira provisória.

Mas, como o trânsito de Salvador é assustador, principalmente para uma recém-habilitada, só tomei coragem de começar a realmente dirigir um ano depois e isso só aconteceu quando eu, decidida a não pegar mais ônibus para ir para faculdade, tirei o carro da garagem e simplesmente fui!

O início é sempre mais complicado. Acordava quase 2 horas antes do horário normal para não pegar congestionamento. O medo de fazer meia embreagem era tanto que organizava todo o roteiro para evitar ladeiras! Hoje, quase 5 anos depois, tive a oportunidade de conhecer e me apaixonar pelo mundo automotivo e pelo automobilismo através do jornalismo e já não consigo mais imaginar minha vida sem carro e inclusive tenho planos de tirar a habilitação na categoria A. Que mudança, né?

Em tudo na vida o importante é dar o primeiro passo e aqui nesse espaço vamos juntas simplificar e desmistificar esse universo ainda considerado masculino. Afinal, lugar de mulher, é onde ela quiser!

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais