Mercedes ganha eficiência na nova linha de cabinas

A era da tecnologia invadiu o chão de muitas fábricas de automóveis, ônibus e caminhões pelo mundo afora. E não é diferente no Brasil. A alemã Mercedes-Benz inaugurou os procedimentos da Indústria 4.0 no ano passado e agora abriu uma nova planta da fábrica de São Bernardo do Campo para a produção de cabinas de caminhões dentro da filosofia da Indústria 4.0 na tradicional região do ABC paulista.

Por Roberto Nunes, em São Bernardo do Campo (SP)

A Mercedes-Benz faz o caminho inverso da Ford, que fechou sua linha de produção de caminhões em São Bernardo. Vizinha da marca americana, a fabricante alemã valoriza o investimento de R$ 2,4 bilhões entre 2018 e 2022, incluindo os R$ 100 milhões na nova planta de cabinas para caminhões na região do ABC paulista.

Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina, ressaltou a importância do investimento com a implantação de procedimentos e soluções tecnológicas para garantir a qualidade dos produtos – no caso, as cabinas dos caminhões Acello, Atego, Axor e Actros na planta de São Bernardo do Campo – e na qualificação da mão de obra. “Há pouco menos de um ano, inauguramos nesta planta a nova Linha de Montagem de Caminhões, trazendo grande impacto para o setor de veículos comerciais no País, com a implantação pioneira e efetiva de conceitos da Indústria 4.0”, destaca Schiemer. Assim, é mais uma etapa com alto padrão de qualidade que deve chegar também aos setores de produção de agregados, como motores, câmbios e eixos, além de chassis de ônibus.

A nova linha de produção de cabinas de caminhões irá proporcionar melhorias nas relações homem/máquina. A Mercedes-Benz projeta ganhos de 15% em eficiência e 20% em logística em relação a processos anteriores. Além de tecnologias, processos e recursos avançados, a nova Indústria 4.0 cresce cada vez mais dentro da Mercedes-Benz. A nova Linha de Cabinas 4.0 vem desenvolvendo e testando, por exemplo, o uso de avançadas soluções – inéditas na MB, na Daimler Trucks e em veículos comerciais no País – como óculos de realidade aumentada, robô colaborativo e exoesqueleto, ferramentas inovadoras para uma nova realidade nas linhas de produção. Essas tecnologias trazem ganhos importantes de ergonomia, qualidade de vida e segurança no ambiente de trabalho para os colaboradores.

A fábrica de São Bernardo do Campo da Mercedes-Benz é a maior no volume de produção de veículos comerciais da América Latina e já tem mais de 60 anos em pleno funcionamento. A marca alemã avança na tecnologia e reforça os procedimentos no ambiente de trabalho. O uso de robôs e carrinhos garante ainda que os materiais fiquem mais próximos do trajeto das cabines. A movimentação de materiais é realizada rapidamente e com maior eficiência por carrinhos guiados para evitar qualquer tipo de esforço. A MB usa ainda várias formas para evitar lesões e afastamentos entre seus colaboradores com o uso de exoesqueletos na parceria com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Esses equipamentos já são utilizados com bons resultados há algum tempo pela indústria automobilística.

A fábrica da MB já iniciou o terceiro turno de produção na linha de montagem de agregados, que incluem motores, câmbios e eixos. A Mercedes-Benz contratou 600 colaboradores para suas operações em 2019. Somente na planta paulista, foram 400 novos funcionários e, em abril, chegam outros 200 trabalhadores. Deste total, 40 atuarão na fábrica da companhia em Juiz de Fora (MG) e o restante ocupa vagas na unidade de São Bernardo. Hoje, a fabricante alemã conta com 10 mil funcionários no Brasil.

O jornalista viajou a convite da Mercedes-Benz do Brasil

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais