COMPARTILHAR

Por Roberto Nunes

Nacionalizado, o pequeno QQ tem uma missão árdua no Brasil. Além de ter que acabar de vez com a ideia de que carro chinês não presta, o subcompacto da Chery briga com a trinca Volkswagen up!, Fiat Mobi e o badalado Renault Kwid. Produzido em Jacareí (SP), o New QQ está com visual reestilizado, super equipado e ganhou recentemente o motor 1.0 flex com tecnologia avançada de três cilindros e sem o uso do tanquinho da partida a frio no motor.

A estrategia da Chery é a mais ousada entre as chinesas instaladas no Brasil. Já produz três modelos – o pequeno QQ e a dupla Celer hatch e sedã – e procura seu espaço para emplacar seus veículos. O hatch QQ é o carro-chefe da marca. A grande novidade da linha 2018 do QQ é a oferta de uma nova versão de entrada, a Smile, com valor de R$ 25.990. Há ainda as configurações Look (R$ 29.990) e ACT (R$ 31.490).

chery-new-qq--26

O QQ é hoje o carro mais barato do Brasil, e a Chery oferece as duas outras versões com amplo pacote de equipamentos. Sua configuração intermediária QQ Look vem com direção hidráulica, ar-condicionado, vidros dianteiros elétricos, rádio AM/FM com entrada USB, travamento automático das portas, rodas de liga leve de 14’, quatro alto falantes, chave com comando remoto (central lock), entre outros itens. A mais completa ACT traz acessórios extras, como luzes diurnas de segurança (DRL), sensor de estacionamento, vidros elétricos traseiros e retrovisores com ajuste elétrico.

Versão de entrada Smile dispensa ar-condicionado e direção hidráulica
Versão de entrada Smile dispensa ar-condicionado e direção hidráulica

No visual, o QQ melhorou muito. Ganhou design mais ocidentalizado e sua traseira tem um vidro-vigia escurecido e lanternas mais vistosas. É um carro com preço justo e acabamento simplório, sem ser mal acabado.

 

Motorização

Para ter preço mais baixo, a nova versão QQ Smile vem sem a direção hidráulica e o ar-condicionado. Mas quem deseja pode pagar R$ 29.990 para estacionar na garagem o QQ Look. A Chery equipa seu hatch QQ com motor 1.0 flex, de três cilindros, para gerar 75 cavalos a 6.000 rpm  e 9,7 Nm de torque, auxiliado pela transmissão manual de cinco marchas.

O pequeno QQ tem comprimento de apenas 3, 564 metros
O pequeno QQ tem comprimento de 3, 564 metros; seu porta-malas é de 160 litros

Com o novo propulsor de três cilindros, a Chery ganhou o selo AA do selo CONPET, concedido pelo Inmetro. É hoje o modelo mais econômico na categoria de subcompactos, tendo alcançado os níveis mais baixos de emissões de poluentes, além de ser classificado como um dos automóveis mais eficientes no ranking geral da avaliação feita pelo órgão.

Motor 1.0 flex gera 75 cavalos e dispensa o tanquinho da partida a frio
Motor 1.0 flex gera 75 cavalos e dispensa o tanquinho da partida a frio

Segundo Henrique Sampaio, gerente de marketing de produto da Chery do Brasil, a marca chinesa tem planos mais sólidos para o mercado brasileiro e percebe o bom momento da Chery no Brasil. “O QQ é um carro que chegou em 2011 e, ao longo dos anos, mostra sua evolução no visual, mecânica e no pacote de equipamentos”, reforça Sampaio. A Chery é a primeira chinesa com fábrica no Brasil e, no ano que vem, vai produzir mais um modelo na sua fábrica de Jacareí: a nova geração do utilitário esportivo Tiggo.

 

 

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorNovo BMW X2 surge e chega em 2018
Próximo artigoHilux Challenge traz esportividade
O site AUTOS&MOTOS reúne a opinião e a produção de textos do jornalista automotivo Roberto Nunes. Mande suas sugestões e críticas para o e-mail mr.robertonunes@autosemotos.com Acompanhe as redes sociais pelo instagram - @autosemotostv ou @ nunes_roberto - e pelo twitter - @autosemotostv e @nunesautobrasil. Siga a fanpage do Autos&Motos no facebook. Inscreve-ase no canal do YouTube www.youtube.com/autosemotostv

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA