Pesquisa revela desvalorização do automóvel

Cada vez mais focados em investimentos, os brasileiros procuram pesquisar melhor na hora de adquirir um carro, levando em consideração o retorno da aplicação.  Quando o valor do veículo é maior, esse comportamento pesa mais ainda. Por isso, de olho no mercado de automóveis que custam entre R$ 90 mil e R$ 150 mil, a KBB Brasil, referência em precificação de carros novos e usados, realizou um levantamento apontando quais modelos dessa faixa de preço mais e menos depreciam após o primeiro ano de uso.

Para esta análise, a KBB considerou os valores de mercado das versões 0km comercializadas em abril de 2018, comparados com os preços encontrados no mercado brasileiro atualmente. Como resultado, pode-se perceber que as picapes e os sedãs são maioria nos rankings.

Quando o assunto é preço de carros, há duas metodologias para calcular a perda de valor: Desvalorização e Depreciação. Desvalorização é a comparação do preço atual de um veículo 0 Km com os valores aplicados pelo mercado à mesma versão fabricada em anos anteriores. Já a Depreciação usa o valor do veículo em um período determinado em relação a seu atual valor residual, sempre considerando o mesmo ano/modelo e sem o mesmo rigor de sua definição contábil, que tem regras muito estritas. Neste levantamento, foi aplicado o conceito de depreciação.

MENOS DEPRECIADOS

Dentre as versões perderam menos valor após o primeiro ano de uso, a alemã Volkswagen trouxe uma curiosidade que a colocou no topo do pódio com a Amarok picape 2P CS S 2.0 TDI Mecânico, com uma taxa de valorização de 1,74% na versão usada. Ou seja, há 12 meses, a versão podia ser encontrada por R$ 110.000 e, atualmente, o mesmo veículo 0Km seria vendido por R$ 111.909.

Esse comportamento fora do padrão, em que o preço de um carro usado hoje é maior que o de um 0Km há um ano atrás, pode ocorrer por diversos fatores, como, por exemplo, o valor da versão 0km de um determinado veículo ter sofrido forte alta, o que consequentemente é refletido no valor do veículo usado, deixando-o mais caro do que o 0km vendido um ano antes.

Por outro lado, falando de fato sobre depreciação, é possível notar neste levantamento que 90% dos modelos que menos depreciam são parte dos catálogos de marcas japonesas. A Mitsubishi aparece em segundo lugar no ranking, com a L200 Pickup 4P TRITON GL 4X4, com queda de 2,05% de seu valor original no período. Suzuki, Toyota, Honda também compõem o levantamento com os veículos que menos depreciam.

Quando tratamos das versões que mais perderam valor, nenhuma marca japonesa marcou presença, deixando lugar para nomes conhecidos, como Ford, Volvo, Fiat, Chevrolet e Citroën.

O grande campeão de desvalorização dessa categoria foi o famoso Ford Focus, com a versão Sedan 4P FASTBACK TITANIUM 2.0, alcançando o índice de 25,63% em depreciação após o primeiro ano de uso. Em segundo lugar, o VOLVO, V40 Hatchback 4P KINETIC T4 Drive-E 2.0 TB AT Automático quase chegou perto do Focus, com um índice de depreciação de 24,94%. Ele é seguido pela FIAT TORO Pickup 4P FREEDOM 1.8, com uma redução de 23,80% do seu valor após um ano.

Fonte: Assessoria de imprensa

Veja também...

Veja mais
Carregar mais