Pilotos comentam o roteiro do Rally dos Sertões 2019

A 27ª edição do Rally dos Sertões promete ser a mais desafiadora dos últimos tempos. A conclusão é dos pilotos da equipe Honda Racing de Rally, atual tetracampeã das motocicletas. A prova terá largada inédita em Campo Grande (MS) e chegada em Aquiraz (CE) entre os dias 24 de agosto e 1º de setembro. O percurso completo foi anunciado pela organização do evento na noite desta terça-feira (14), no Jockey Clube de São Paulo (SP).

Ao todo, a competição terá 4.744 quilômetros, sendo 2.832 de especiais (trechos cronometrados), divididos em oito etapas – uma a mais que no ano passado. A disputa também vale pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country. Em 2019, o Sertões percorrerá seis estados e terá também como cidades-dormitório Costa Rica (MS), Barra do Garças (MT), São Miguel do Araguaia (GO), Porto Nacional (TO), São Félix do Tocantins (TO), Bom Jesus (PI) e Crateús (CE). Especiais longas, cheias de obstáculos, passagem pelo Jalapão e alto nível técnico serão grandes adversários dos competidores.

Atual campeão do Rally dos Sertões nas motos, o mineiro de Lavras Tunico Maciel ficou impressionado com o trajeto. “Neste ano, o Sertões está explorando muito o interior e as paisagens bonitas do Brasil. As altas quilometragens vão mostrar quem está mais bem preparado e quem tem o melhor equipamento”, destaca o piloto, que utiliza a motocicleta Honda CRF 450RX. “A minha rotina de treinos já é intensa e, depois dessa revelação, vou reforçar ainda mais. Quero defender o título com unhas e dentes. Ser o número um pesa um pouco, mas acredito que tenho competência para isso”, completa.

Referência da modalidade no Brasil, Jean Azevedo está em busca do oitavo título geral das motos no Rally dos Sertões. Ele também utiliza a CRF 450RX. “Vai ser bem desafiador. Teremos um dia a mais de prova, quase cinco mil quilômetros no total e etapas com especiais longas, acima de 500 quilômetros. Com certeza será uma prova de estratégia, bem diferente dos últimos anos. Não vai dar para só acelerar o tempo inteiro, teremos que administrar o dia acerto de poupar o equipamento e o dia certo de atacar”, explica o paulista de São José dos Campos.

Para Bissinho Zavatti, campeão da Rally Brasil, classe destinada aos modelos de fabricação nacional, o percurso surpreendeu. “Será um rali muito duro e exigente. Neste ano, vou com a nova motocicleta CRF 250F. Mais uma vez, o modelo vai ser sucesso na categoria nacional. O Sertões será difícil do início ao fim. Teremos que montar uma boa estratégia para seguir em busca de mais um título, mas estou na equipe com os melhores pilotos e melhores mecânicos”, afirma o piloto, natural de Monte Alto (SP).

Nova gestão
No final de 2018, a Dunas Race, organizadora do Rally do Sertões, teve 51% da empresa comprada pelos executivos Joaquim Monteiro, novo CEO do evento, e Julio Capua. Fundador da competição, Marcos Moraes continua como responsável pela parte técnica da prova. Durante o lançamento da edição 2019 foi apresentada também a Dream Factory, empresa de live marketing, como mais uma sócia do Sertões. Pelo oitavo ano consecutivo, a Honda segue como patrocinadora deste que é o maior rali das Américas.

Maior rali do mundo em 2022
Para os planos da nova fase do Rally dos Sertões, a nova gestão ressaltou o objetivo de realizar em 2022, ano em que o evento comemora 30 anos e que marca o bicentenário da Independência do Brasil, uma edição especial que cruzará o país do Oiapoque (AP) ao Chuí (RS). A prova promete ser o maior rali do mundo em quilometragem percorrida.

Três dimensões
Além da essência da competição, o Sertões reforça os trabalhos já promovidos dentro do evento como a parte social, com o SAS (Saúde e Alegria no Sertões), e o turismo, que ganham cada vez mais atenção. Destaque para as expedições, entre elas com a Honda CRF 1000L Africa Twin, para aqueles que querem apenas curtir o passeio.

Sertões Series
O retorno do Sertões Series, campeonato com provas de menor duração, tem a intenção de criar oportunidades e tornar viável a participação de mais competidores no rali. Neste ano serão duas etapas: a primeira com o Rally do Jalapão, de 5 a 9 de junho, e a segunda, com o Rally Rota Sul, de 6 a 9 de dezembro, nos Pampas, no Rio Grande do Sul.

A equipe Honda Racing de Rally Cross Country é patrocinada por ASW, Michelin, DID, Seguros Honda e Óleo Genuíno Honda.

Confira o roteiro completo do Rally dos Sertões 2019*:

24/8 – Sábado
Campo Grande (MS)

Manhã – Prólogo em circuito fechado de 1,5 km
18h – Super Prime – oito mais rápidos em formato mata-mata

25/8 – Domingo
1ª etapa – Campo Grande (MS) a Costa Rica (MS)

Deslocamento inicial – 20 km
Especial (Cronometrado) – 415 km
Deslocamento final – 52 km
Total do dia – 487 km

A primeira especial, considerada bem completa, terá piso que os competidores conseguirão desenvolver velocidade média alta. A prova começará seguindo um trilho de trem, trecho bem estreito, que exigirá atenção para não escorregar. Será um dia com nível técnico razoável, piso mais arenoso, mas bom para acelerar.

26/8 – Segunda-feira
2ª etapa – Costa Rica (MS) a Barra do Garças (MT)
Deslocamento inicial – 95 km
Especial (Cronometrado) – 530 km
Deslocamento final – 14 km
Total do dia – 639 km

No segundo dia, a caravana do Sertões entra no estado do Mato Grosso, com uma especial bastante longa, com trechos de serra, areia, cascalho, travessia de rios e retas, nas quais será possível alcançar uma velocidade de 180 km/h. Lombas de curva de nível caracterizarão bem os 200 primeiros quilômetros da etapa. Daí para frente o ritmo de prova mudará e terá zonas de radar nas áreas de pontes.

27/8 – Terça-feira
3ª etapa – Barra do Garças (MT) a São Miguel do Araguaia (GO)
Deslocamento inicial – 107 km
Especial (Cronometrado) – 420 km
Deslocamento final – 200 km
Total do dia – 727 km

A especial começará rápida e terá como marca principal as depressões de poças secas (DEPS), obstáculos durante a pilotagem. O trajeto, que tem como destino final o Estado de Goiás, incluirá algumas pontes, com vão central, que exigirão cuidados nas passagens e atenção na navegação. Grandes retas também estarão no caminho nesse terceiro dia de competição.

28/8 – Quarta-feira
4ª etapa – São Miguel do Araguaia (GO) a Porto Nacional (TO)

Deslocamento inicial – 70 km
Especial (Cronometrado) – 277 km
Deslocamento final – 224 km
Total do dia – 571 km

O quarto dia entrará no Tocantins e será de preparação para a etapa Maratona, na qual os competidores não poderão ter ajuda da equipe na manutenção dos veículos. Será uma especial do início ao fim bem prazerosa, com cascalho, piçarras, gostosa de acelerar e bem técnica. O percurso incluirá estradas de fazendas, algumas mais estreitas, mas sem grandes dificuldades.

29/8 – Quinta-feira
5ª etapa – Porto Nacional (TO) a São Félix do Tocantins (TO) – Maratona

Deslocamento inicial – 135 km
Especial (Cronometrado) – 300 km
Deslocamento final – 0 km
Total do dia – 435 km

A primeira parte da etapa Maratona será com um visual bem bonito do Jalapão, região marcante na história do Sertões. Porém, o desafio estará no piso de muita “quebradeira”, com erosões e pedras, mais abrasivo do que nos dias anteriores. Haverá passagens em rios, grandes retas com areia pesada e terra batida. A atenção deverá estar na mudança de cores no piso e também na hidratação.

30/8 – Sexta-feira
6ª etapa – São Félix do Tocantins (TO) a Bom Jesus (PI) – Maratona

Deslocamento inicial – 0 km
Especial (Cronometrado) – 540 km
Deslocamento final – 2 km
Total do dia – 542 km

O dia da última parte da etapa Maratona ficará marcado pela maior especial da história do Rally dos Sertões, em 27 anos. Será o trecho mais importante da edição, com muita areia, grandes retas, poucas sombras, descidas de serras, bem árido, com todos os tipos de pisos. Destaque para a paisagem durante a passagem pelos cânions de Bom Jesus, no Piauí.

31/8 – Sábado
7ª etapa – Bom Jesus (PI) a Crateús (CE)

Deslocamento inicial – 2 km
Especial (Cronometrado) – 320 km
Deslocamento final – 617 km
Total do dia – 938 km

Depois de seis dias muito intensos nas especiais, o Sertões 2019 começará a diminuir forte o ritmo nos trechos cronometrados. Porém, será a etapa mais longa da edição em quilometragem, com um deslocamento final de 617 km – um desafio extra para todos os pilotos, que terão que controlar o sono e o cansaço antes da chegada no penúltimo destino, em Crateús (CE).

1/9 – Domingo
8ª etapa – Crateús (CE) – Aquiraz (CE)

Deslocamento inicial – 372 km
Especial (Cronometrado) – 30 km
Deslocamento final – 3 km
Total do dia – 405 km

O dia iniciará com um deslocamento direto para a especial de 30 km nas dunas de Aquiraz (CE). Será um circuito de 10 km, com três voltas nas areias, uma dinâmica bem diferente das demais especiais. A largada será em linha e a chegada, no Beach Park, famoso parque aquático da região.

Total de especiais – 2.832 km
Total da prova – 4.744 km

Veja também...

Veja mais
Carregar mais