Placa Preta, o certificado de originalidade do carro

Por Cláudio Jorge

 

Neste artigo de hoje vamos falar sobre a “Placa Preta”. A “Placa Preta” nada mais é do que um certificado de que o veículo possui alguns requisitos para ser considerado um veiculo de coleção, popularmente falando, um veículo “Placa Preta”.

.

Quais são esses requisitos?
– Possuir, no mínimo, 30 anos de fabricação;
– Possuir, no mínimo, 80% de originalidade. Existe uma verificação de vários itens analisados no veículo, tais como: chaparia, pintura, estofamento, mecânica, elétrica, cromados, aros de pneus, etc. Todos esses itens são verificados em um gabarito estabelecido pela FBVA (Federação Brasileira de Veículos Antigos) e os clubes federados a ela, como é o caso do nosso Clube da Ferrugem aqui de Feira de Santana, seguem, rigorosamente, essas normas na vistoria técnica.

.

Para possuir um veículo de coleção (Placa Preta) é necessário ser associado a algum clube registrado, pois é preciso um respaldo de uma instituição para certificá-lo. O proprietário do veículo não consegue certifica-lo indo diretamente no DETRAN: o processo deve ser realizado via Clube, que encaminha a documentação para o DETRAN liberar a mudança.

.

O DETRAN não obriga que o clube seja filiado a FBVA. Basta o clube ser registrado como Associação, ter CNPJ e registros regulares, porém, no mercado do Antigomobilismo, um clube filiado a FBVA tem maior respaldo e credibilidade, pois o vendedor e o adquirente têm a certeza de que o clube segue as normas de padrão internacional para a certificação do veículo de coleção.

.

Após a vistoria, o veículo, sendo aprovado com, no mínimo, 80% de originalidade, a FBVA emite um certificado com todo o registro de fotos e vistoria do veículo e, a partir daí, o proprietário segue no processo de alteração de característica no órgão responsável, no caso, o DETRAN, que libera a “Placa Preta” para o veículo.

.

Até alguns meses atrás, a “Placa Preta” era tida como um certificado de garantia de originalidade de um veículo, mas infelizmente, existem alguns clubes no Brasil que usam esses certificados como comércio e os vendem apenas por vistoria pela internet, por foto, criando um mercado de veículos conhecidos como “Placa TRETA” que são veículos reprovados na vistoria técnica, muitas vezes por itens eliminatórios, tais como: rebaixamento, rodas trocadas por tamanhos maiores e/ou que não correspondem à época, dentre outras mudanças.

.

Veículos que passam por processo sério de vistoria (em Clube filiado à FBVA e que tenham histórico de avaliações sérias) são mais valorizados no mercado e ajudam a resgatar a história automobilística. No Clube da Ferrugem temos um acervo com veículos lindos, alguns atingindo até 94% de originalidade!

Verdadeiras relíquias

A nova placa Mercosul modificou o padrão de cores das placas, dessa forma, a antiga “Placa Preta” passou a ser branca com letras cinzas, muitos entusiastas e colecionadores não gostaram dessa modificação, pois entendem que a mudança tirou o charme da “Placa Preta”. De fato, a nova placa Mercosul não chama a atenção, parece uma placa moderna com letras desbotadas. Os Antigomobilistas esperam que o Governo volte atrás com essa resolução ou melhore o formato da nova placa de carro colecionável.

Para conhecer um pouco mais sobre o assunto, siga nossas redes sociais e visite a página da FBVA e do Clube da Ferrugem! Até a próxima!
Facebook.com/clubedaferrugem / @clubedaferrugemoficial
Facebook.com/federacaobrasileiradeveiculosantigos

 

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais