Renovada, esportiva CB 1000R ganha em performance

Motos esportivas estão em alta no mundo. A japonesa Honda aposta na sua mil cilindrada, a cultuada CB 1000R. A superesportiva chega ao mercado brasileiro aliando potência bruta e vocação para as pistas. A CB 1000R tem motor de elevada performance – nas três primeiras marchas, até os 130 km/h, a CB 1000R é mais rápida que a CBR 1000RR Fireblade.

A CB 1000R 2019 traz comando do acelerador do tipo TBW (Throttle By Wire) com piloto de controle exato da potência. Os quatro Riding Modes possibilitam alterar o nível de potência, do freio-motor e da intervenção do controle de tração. Três dos Riding Modes são pré-ajustados: em RAIN a potência fica no nível mais baixo, o freio-motor em nível intermediário e o controle de tração em nível elevado. No modo STANDARD o nível de potência, do controle de tração e do freio-motor é intermediário para os três parâmetros. No modo SPORT a potência é ajustada em nível pleno, e tanto controle de tração como de freio-motor estão no nível menos intrusivo. O quarto e último modo é o USER, que permite determinar o nível de cada um dos parâmetros de acordo ao gosto do piloto, e inclusive desligar o controle de tração.

O peso a seco é de apenas 199 kg, e a elevada potência de 141,4 cv proporcionam à Honda CB 1000R uma relação peso-potência comparável à de superesportivas que reinaram nas pistas poucos anos atrás. Tal realidade justifica escolha de componentes de alta especificação para a parte ciclística – suspensões e freios – que, em conjunto com o chassi monotrave de aço, oferecem a dirigibilidade esperada para uma naked de última geração.

A moto tem chassi com trave única superior de perfil quadrado, que na região dos suportes de pedaleiras se une a placas de alumínio onde está fixado o eixo da balança monobraço da suspensão traseira. A moto vem equipada com motor DOHC de 998 cm3, de quatro cilindros em linha e cabeçote de 16 válvulas. Sua potência máxima é de 141,4 cavalos a 10.500 rpm. Seu ajuste visou oferecer um consistente torque em regimes médios, entre 6 e 8 mil rpm, onde praticamente a totalidade dos 10,2 kgf.m já está à disposição. O sistema de alimentação PGM-FI se vale de quatro corpos de borboleta de 44 mm de diâmetro que “respiram” em uma caixa de filtro de ar cujos dutos favorecem o fluxo de modo a maximizar a respiração do motor. O sistema de escape 4×2 conta com quatro catalizadores e sonoridade digna de uma streetfighter puro-sangue assim que são superados os 5.500 rpm.

O câmbio de seis marchas atua em conjunto com a embreagem deslizante de comando hidráulico, equipamento que auxilia nas reduções de marcha mais radicais em pilotagem esportiva, limitando eventuais perdas de aderência do pneu traseiro que poderiam causar instabilidade.

A Honda CB 1000R sai por R$ 58.690. As cores disponíveis são o vermelho metálico e o preto perolizado. A garantia é de três anos sem limite de quilometragem.

Veja também...

Veja mais
Carregar mais