SSangYong volta ao Brasil; será que fica?

A SSangYong iniciou seu retorno ao mercado brasileiro. Depois de um hiato de mais de três anos sem produtos e ações mais fortes das revendas, a marca sul-coreana chega com dois novos veículos, os crossovers Tivoli e XLV, e o reestilizado Korando. Em Salvador, a MG Veículos, revendedor exclusivo dos carros SsangYong, apresentou à imprensa o novo portfólio de produtos para o Brasil.

Entre os modelos comercializados nesta nova fase da marca, está o Tivoli. É um carro para brigar no segmento do Nissan Kicks. O SsangYong Tivoli mais parece um hatch com visual esportivo. Tem linha de cintura mais baixa em relação ao Ford EcoSport, modelo pioneiro no segmento de SUV´s urbanos no país. Equipado apenas com a opção do motor 1.6 gasolina, de 128 cavalos e 16 kgfm de torque, e transmissão automática de seis velocidades, o Tivoli é um carro espaçoso e usa bem suas dimensões de 4,202 metros de comprimento e 2,6 metros de entre-eixos para proporcionar conforto ao motorista e demais passageiros.

Com preço sugerido de R$ 84.990, o SsangYong Tivoli espanta, sim, pelo valor cobrado. No entanto, está no páreo com outros modelos como o Hyundai Creta, Renault Captur e Jeep Renegade, todos na faixa acima dos R$ 80 mil. Mas, muita gente vai avaliar: é um coreano da SSangYong, né!?

O Tivoli é o carro de entrada da nova SSangYong no Brasil

Em uma visão racional, a marca oferece um carro à altura dos rivais. Seu pacote de equipamentos é dos mais completos e inclui itens como ajustes do volante em altura e profundidade, ar-condicionado, direção elétrica, botão de ignição no painel, pacote eletrônico de vidros, tampa do porta-malas e do tanque, faróis com acendimento automático, faróis de neblina, computador de bordo, bancos revestidos em couro, rodas de liga leve de 16″ , computador de bordo, multimídia com espelhamento de smartphone e navegador GPS, airbag duplo e freios com ABS, entre outros itens. Desse jeito, oferece praticamente o mesmo nível de equipamentos

Crossover XLV tem motor 1.6 e transmissão automática de seis velocidades

Mas ai é que mora o risco da nova fase da SSangYong no Brasil. O cliente hoje é mais exigente. Deixar o país em um momento de crise é quebrar a confiança do seu maior parceiro: o próprio consumidor. Ele ficou praticamente órfão, sem uma assistência maior da marca e sem as naturais perspectivas futuras, vendo modelos sendo lançados em outros mercados e sem saber o que iria ocorrer no Brasil. Este é o lado ruim de uma importadora de veículos que “congela” de vez todas as ações iniciadas em um momento de boom de vendas no país.

Por isso, muitas perguntas ficam no ar: uma delas é sobre o retorno e os planos mais sólidos da SSangYong em um mercado que voltou a crescer 34,80% no mês de abril deste ano, com 311.181 veículos emplacados no país. De janeiro a abril, o mercado registrou 1.108.913 unidades, o que representa aumento de 17,65% ante as 942.537 unidades licenciadas no mesmo período do ano passado.

Não restam dúvidas de que a geração anterior do Korando, por exemplo, tem sim sua legião de fãs. AUTOS E MOTOS rodou com o Korando a diesel e indicou suas qualidades para quem queria, na época, um SUV urbano com pacotaço de itens e mecânica ajustada para a região Nordeste do Brasil.

 

Hoje, o novo Korando faz parte deste ressurgimento da SSangYong no país. Chega ao mercado com motor 2.2 turbodiesel, de 178 cavalos, transmissão sequencial automática de seis velocidades e lista generosa de equipamentos. sai por R$ 129.900. Já o novíssimo XLV é o SUV mais família da marca sul-coreana. Tem menor motor 1.6 gasolina, o mesmo do Tivoli, e com o mesmo nível de equipamentos ofertado nos outros modelos da marca. Mas, agora é trabalho duro: conquistar novos consumidores e, como tarefa ainda mais árdua, reconquistar a confiança do cliente antigo. Este, sim, é o grande divulgador (ou não, né?) da marca SSangYong no Brasil.

 

 

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais