T40 ganha câmbio CVT e motor 1.6 gasolina

Roberto Nunes, em Itu (São Paulo)

A onda chinesa ganhou mais um integrante. É a versão com transmissão do tipo CVT do crossover T40, da JAC Motors. A fabricante chinesa anuncia a venda do T40 CVT para o fim deste mês com o novíssimo motor 1.6 DVVT abastecido apenas com gasolina, diferente do propulsor 1.5 flex ofertado na configuração manual do modelo que inaugurou a nova fase da JAC Motors no país.

O novo T40 CVT tem pretensões ousadas e segue o caminho do recém-lançado Tiggo 2, modelo de estreia da marca Caoa Chery, uma fusão entre o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade e os chineses. Até o fim de 2018, a JAC Motors quer vender pelo menos 600 unidades do T40 CVT, com valor sugerido de R$ 69.990 – valor R$ 10 mil a mais em relação ao modelo com câmbio manual já comercializado no Brasil.

Desenvolvido pelo Centro de Design de Turin da JAC Motors, o T40 tem 4,13 metros de comprimento e 2,49 metros de entre-eixos. De visual mais ocidentalizado, o crossover da JAC chega ao mercado brasileiro com um generoso pacote de equipamentos, incluindo sistemas de controle de tração e de estabilidade, bancos revestidos em couro e ar-condicionado com regulagem automática de temperatura. Há ainda faróis com DRL e regulagem elétrica de altura do facho, airbag duplo, freios ABS com EBD, assistente de frenagem de pânico, assistente de partida de rampa, além de controle eletrônico de tração e de estabilidade, sistema de monitoramento de pneus e assistente de partida de rampa.


O T40 tem visual mais ocidentalizado. O crossover ganhou desenvolvimento para se encaixar no gosto do brasileiro. Com o atraso do projeto Brasil para instalação de fábrica em Camaçari (Bahia), o T40 chegou inicialmente com motor 1.5, menos potente com seus 127 cavalos de potência. Somente agora chegou a versão com o propulsor 1.6, mais este só bebe gasolina, limitação para o mercado que exige carros com motor bicombustível.

Sérgio Habib, presidente da JAC Motors Brasil, reconheceu o atraso do carro com atualizações mecânicas e anunciou que o motor 1.6 flex chega em breve para o mercado brasileiro. Tem torque máximo de 17,1 kgfm a 4.000 rpm e sistema de 16 válvulas e duplo comando variável no cabeçote. Bebendo etanol, deve ganhar um ganho a mais na potência. Mas isso só no segundo semestre. Por enquanto, a rede de revendedores tem as opções com câmbio manual e motor 1.5 flex e transmissão CVT que simula seis marchas com motor 1.6 gasolina. É, no mínimo, estranho: um carro com duas opções de motor. Mas ai quem deve decidir é o brasileiro, que está cada vez mais exigente para comprar um SUV em todo o país.

O crossover da JAC Motors tem seus predicados. Tem bom porta-malas – são 450 litros – e há ainda entrada USB na parte traseira do carro. Isso é um ponto positivo em um mundo tão conectado ao smartphone. Assim, é fácil carregar o celular. O multimídia evoluiu e muito e é possível emparelhar o celular. Em breve, haverá sistemas Apple Car Play e Android Auto. O novo T40 entra na briga com os aventureiros como o Renault Sandero Stepway, por exemplo.

O jornalista viajou a convite da JAC Motors

Veja também...

Veja mais
Carregar mais