FCA inaugura Safety Center com crash test da picape Toro

Safety Center. Foto: Leo Lara/Studio Cerri

A segurança é um item essencial na indústria dos automóveis. Antes de lançar um veículo, são necessários inúmeros testes e avaliações para garantir a segurança do motorista e demais passageiros. Os carros são construídos com materiais mais resistentes e dispositivos de proteção individual. A FCA preza pela qualidade e segurança dos seus veículos e inaugurou o seu centro de segurança veicular, o Safety Center Betim, um dos mais modernos espaços dedicados à segurança veicular da América Latina.

Por Roberto Nunes, em Betim (Minas Gerais)

O Safety Center faz parte do Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Giovanni Agnelli. Foram investidos cerca de R$ 40 milhões para a construção do prédio, aquisição de equipamentos de última geração e desenvolvimento de testes de segurança dentro dos mais rígidos padrões de segurança. Instalado no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG), o Safety Center conta com uma área de 7.600 m² e pista de 130 metros, com capacidade de realização de testes de impacto de até 4 toneladas a 100 km/h.

Antes, o Grupo FCA realizava seus testes de segurança do seus carros em Turim ou em Detroit. As obras do Safety Center começaram em maio de 2018 e foram finalizadas em maio deste ano. A equipe de engenharia da FCA realiza testes simulados e reais com base nas provas físicas realizadas no local para avaliar a estrutura do automóvel. Além disso, são testados também a calibração dos airbags e os sistemas de retenção dos ocupantes. A iniciativa é mais um passo da FCA no caminho de produzir carros cada vez mais conectados à segurança dos usuários.

Segundo Marcio Tonani, diretor de Desenvolvimento de Produto da FCA para América Latina, o Grupo FCA está agora com um centro especializado em segurança veicular e irá realizar testes em todos os projetos de carros produzidos pela empresa. “O Safety Center é uma importante conquista, que confirma o protagonismo do grupo na região e contribui para a melhoria e maior agilidade no desenvolvimento, mantendo os níveis de segurança exigidos internacionalmente”, destaca

O novo espaço também coloca a empresa em posição privilegiada diante dos requisitos que virão dentro do programa Rota 2030. A inauguração do Safety Center contou com a realização do primeiro crash test oficial feito em uma picape Toro. O veículo testado percorreu 130 metros na pista e ganhou velocidade máxima de 48,3 km/h no momento da colisão em um bloco de concreto de 140 toneladas. Os danos causados no carro foram: para-choque quebrado, para-brisa trincado e capô amassado.

Outro aspecto importante do novo centro é que ele está interligado a toda a cadeia de desenvolvimento de produtos, desde a fase de conceito, passando pelas simulações virtuais, até chegar às provas físicas de desenvolvimento e homologação e ao início da produção do novo veículo. O auxílio da realidade virtual, por exemplo, faz com que o desenvolvimento de veículos ganhe em precisão e economia com protótipos, já que só é produzido um modelo real depois de complexas análises em 3D. Assim, o carro físico já vai para os testes com todo a retaguarda da engenharia e maturidade adquiridas no processo, o que reduz muito a quantidade de ajustes a se fazer.

 

Mais números de destaque:

– 100 mil Lúmens: capacidade do sistema de iluminação de LED

– 1940 fps (quadros por segundo): resolução das cinco câmeras de altíssima resolução – full HD

– 1000 g: resistência a impactos dos equipamentos (g = unidade de aceleração da gravidade)

– 2000 g: capacidade de medição dos acelerômetros

– 96 provas por ano*

– 72 veículos testados por ano*

 

Veja também...

Veja mais
Carregar mais